Educação Financeira para todos

16SETEMBRO2019 — Tudo na vida pede planejamento. No mundo dos negócios, não poderia ser diferente. Ao dar o importante passo de abrir uma empresa, você precisa reunir o máximo possível de informações, para ter a percepção de que está no caminho certo e de que o empreendimento escolhido tem reais chances de sucesso. Para isso serve o Plano de Negócios, ou Business Plan.

Plano de negócios: aprenda a fazer o seu

O Plano de Negócios descreve os objetivos da nova empresa, quais passos devem ser dados para que sejam alcançados, diminuindo os riscos e as incertezas. Apesar de não ser a garantia de sucesso, irá auxiliá-lo a tomar decisões mais acertadas, e manter você focado em seus objetivos.

Aqui, vamos listar, resumidamente, as principais etapas de um Plano de Negócios, com base em informações do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). Confira!

1) Sumário Executivo
Nele entram uma breve descrição do projeto, com os dados dos empreendedores.

Para descrever o projeto, procure listar nele as seguintes informações:

  • o que é negócio;
  • quais os principais produtos e/ou serviços;
  • quem serão seus principais clientes;
  • onde será localizada a empresa;
  • montante de capital a ser investido;
  • qual será o faturamento mensal;
  • que lucro espera obter do negócio;
  • em quanto tempo espera que o capital investido retorne.

Quanto aos dados dos empreendedores, inclua breve apresentação do perfil, destacando conhecimentos, habilidades e experiências anteriores, pontuando como será possível utilizar essas características a favor do seu empreendimento.

2) Apresentação da empresa
Neste espaço, devem ser listados:

  • dados do empreendimento: nome da empresa e o número de inscrição no CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas). Caso ainda não tenha essa informação, inclua o seu CPF.
  • setor de atividade: defina qual é o negócio de sua empresa e, em seguida, assinale em qual(is) setor(es) pretende atuar: agropecuária, indústria, comercio ou serviços.
  • forma jurídica: para esta definição e escolha, recomenda-se o apoio de um contador ou advogado. São basicamente as seguintes: autônomo, MEI (Microempreendedor Individual), Empresário Individual, Sociedade (empresária ou simples).
  • enquadramento tributário: é necessário especificar qual o regime tributário da sua empresa. No Brasil, os três principais são: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real.
  • capital social: é representado por todos os recursos (dinheiro, equipamentos, ferramentas etc.) colocado(s) pelo(s) proprietário(s) para a montagem do negócio.

3) Plano de marketing
Tem a finalidade de apontar como conhecer melhor e conquistar clientes, com base nas seguintes informações:

  • descrição dos principais produtos;
  • estudo dos clientes;
  • estudo da concorrência;
  • estudo dos fornecedores;
  • estratégias promocionais;
  • estrutura de comercialização.

4) Plano Operacional
Tem como objetivo explicar como sua empresa irá funcionar, com as seguintes informações:

  • ocalização;
  • layout: como será a distribuição dos setores da empresa, recursos, detalhando a utilização do espaço disponível;
  • capacidade produtiva ou comercial (capacidade instalada): significa estimar quanto poderá ser produzido na empresa, quantos clientes poderão ser atendidos com a estrutura inicial do empreendimento;
  • processo de produção ou comercialização: • detalhar como serão feitas as várias atividades do negócio (fabricação dos produtos, venda de mercadorias, prestação dos serviços e rotinas administrativas);
  • necessidade de pessoal: uma estimativa do número de pessoas a serem contratadas e um breve perfil (em termos de formação profissional e habilidades) da sua equipe de trabalho.

5) Plano Financeiro
São os números da sua empresa, incluindo as seguintes informações

  • estimativa do investimento total (fixos, financeiros e pré-operacionais);
  • estimativa do faturamento mensal;
  • estimativa de custos com materiais e insumos;
  • apuração do custo dos materiais e/ou mercadorias vendidas;
  • estimativa de custos de comercialização;
  • estimativa de custos com mão-de-obra;
  • estimativa de custo com depreciação;
  • custos fixos mensais previstos;
  • demonstrativo de resultados;
  • indicadores de viabilidade: tais como ponto de equilíbrio (o quanto sua empresa precisa faturar, ou quantas unidades de um determinado produto ou serviço precisam ser vendidas, para pagar todos os seus custos em um determinado período), lucratividade (mede o lucro líquido em relação às vendas), rentabilidade (mede o retorno do capital investido aos sócios; é calculado através da divisão do lucro líquido pelo investimento total) e prazo do retorno do investimento (indica o tempo necessário para que o empreendedor recupere o que investiu no seu negócio).

6) Avaliação do Plano de Negócio
Avalie cada uma das informações encontradas e procure responder racionalmente à questão: “Vale a pena abrir, manter ou ampliar o meu negócio?”

Lembre-se que seu Plano de Negócios precisa ter flexibilidade, ajustando-se em função do mercado, cenário econômico ou fatores internos.

7) Documentação de Apoio
Aqui são reunidos documentos que podem dar mais credibilidade ao seu planejamento e fornecer informações complementares ao seu projeto, sendo uma importante fonte de consulta. Alguns exemplos: contrato de aluguel; currículo do(s) proprietário(s); orçamentos (máquinas, equipamentos, móveis, matéria-prima e serviços a serem contratados); notícias e artigos sobre sua área de atuação; logomarca da empresa; fotos dos principais produtos a serem comercializados.

Links relacionados:

Sebrae
www.sebrae.com.br
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/como-elaborar-um-plano-de-negocio,37d2438af1c92410VgnVCM100000b272010aRCRD

Qual a diferença entre MEI e Simples?
http://financaspraticas.com.br/recursos/perguntas-frequentes/qual-a-diferenca-entre-mei-e-simples

Como abrir uma empresa
http://financaspraticas.com.br/empreender/gestao-e-negocios-pme/como-abrir-uma-empresa

Plano de negócios: aprenda a fazer o seu

Compartilhar