Atualização de privacidade

Lançamos nosso Centro de Privacidade e atualizamos o Aviso de Privacidade. Saiba mais. >

Educação Financeira para todos

Conservador, moderado ou agressivo. Tão importante quanto conhecer os tipos de investimentos disponíveis no mercado, é saber em quais desses perfis de risco você se encaixa, para definir qual é o melhor investimento para você, de acordo com seus objetivos.

Respeite seu perfil

Em primeiro lugar, é preciso saber que o risco está diretamente ligado à rentabilidade do investimento: os mais arriscados oferecem a possibilidade de mais ganhos que os obtidos nos de menor risco, mas, ao mesmo tempo, as perdas também podem ser maiores.

Onde você se enquadra?
O investidor mais conservador busca aplicações seguras e não tem pressa de obter os ganhos, desde que eles venham. Com relação às perdas, devem ser as menores possíveis ou, de preferência, não existirem. Normalmente, esse investidor busca investimentos que possuam retorno de médio/longo prazo. 

Já o investidor agressivo é aquele que procura retornos maiores em um curto espaço de tempo. Ele deixa a segurança um pouco de lado e enfrenta um risco de perda maior, na expectativa de obter um retorno proporcional ao risco enfrentado.

Entre conservadores e agressivos, localizam-se os moderados. São investidores que possuem características tanto conservadoras quanto agressivas e tentam equilibrá-las para se proteger por um lado de um risco que assumem do outro.

Como definir?
O perfil de risco é único e depende das características e dos objetivos de cada um. Assim, existem algumas variáveis que devem ser analisadas antes de defini-lo. Confira os pontos que devem ser avaliados:

  • Valor: quanto você pode investir?

Planeje metas confortáveis e de acordo com seu orçamento. Não adianta investir todo o seu 13º salário hoje, se amanhã terá de resgatá-lo. É melhor investir uma pequena parte e deixá-la aplicada por bastante tempo. Definido o valor, verifique as aplicações que permitem o aporte de acordo com o seu planejamento.

  • Prazo: por quanto tempo você quer e pode manter o dinheiro investido?
    Quando "expira" sua meta? A melhor aplicação para você vai depender do tempo que tiver para investir. Avalie o tempo mínimo de investimento de cada aplicação e escolha aquela que condiz com seus objetivos.
  • Retorno: qual retorno quer alcançar?

Esteja consciente de que, quanto mais rentabilidade quiser atingir, mais riscos vai ter de correr.

Vale lembrar que é importante sempre rever suas aplicações, pois seu perfil de investidor e a sua estratégia podem mudar com o tempo e com as suas necessidades. E fica a dica: independentemente do seu perfil, o mais arriscado é adiar a decisão de investir. Pense nisso e comece agora mesmo.

Respeite seu perfil

Compartilhar