Atualização de privacidade

Lançamos nosso Centro de Privacidade e atualizamos o Aviso de Privacidade. Saiba mais. >

Educação Financeira para todos

O grande desafio do planejamento financeiro é atingir o equilíbrio: nem gastar demais, nem guardar demais. Distinguir um gasto de um investimento pode ajudá-lo a tomar algumas decisões importantes para o seu bolso. Veja alguns exemplos e tome suas decisões:

Gasto ou investimento?

Compra do carro
O carro perde valor logo que você compra e isso continua com o uso. É o que chamamos de depreciação. Portanto, se sua intenção é comprar um veículo para investir, reveja sua decisão. Carro representa despesa! Além da compra e da documentação, há ainda outros gastos envolvidos, como a contratação do seguro, combustível, manutenção, estacionamento etc.

Agora, há casos em que adquirir um carro é decisão de investimento sim. Por exemplo: você trabalha com vendas e, com o veículo, poderia otimizar seus serviços, oferecer mais produtos e atender melhor seus clientes. Neste caso, com planejamento, a decisão de comprar representa investir em sua carreira, pois esta despesa hoje lhe garantirá maior ganho mensal.

Essa mesma regra vale para os equipamentos eletrônicos (utilizando critério e bom senso, claro): se, adquirindo determinado equipamento, você vai melhorar sua produtividade, revertendo isso em fonte de renda, direta ou indiretamente, não há dúvida de que se trata de investimento.

Imóvel
A compra do imóvel é sim investimento, mas vale observar: sua liquidez é extremamente baixa. Isso significa que, para reaver o dinheiro investido, você terá que vender o imóvel e isso demora bastante. 

Caso pense em adquirir um imóvel para alugar, lembre-se: seu retorno financeiro depende muito da escolha do inquilino. Caso ele atrase o pagamento do aluguel, deixe de cumprir com suas obrigações ou mesmo descuide da manutenção do seu imóvel, você perderá dinheiro e terá considerável dor de cabeça.

Já na compra da casa própria, mesmo sendo para seu uso, trata-se sim de investimento, principalmente quando você busca adquirir um bem com grande potencial de valorização, observando com cuidado a região, a qualidade da obra e todos os serviços oferecidos.

Cursos de aperfeiçoamento
A educação é sempre considerada um investimento: quando falamos na escola dos filhos ou na universidade, o dinheiro pago certamente dará retorno.

O mesmo vale para cursos profissionalizantes ou de aperfeiçoamento, mas é preciso atenção à escolha: se você se inscreve em algo por capricho ou impulso, isso é gasto! Agora, se há um planejamento e sabe exatamente o que esta despesa irá lhe proporcionar, sobretudo em sua carreira, trata-se sim de investimento! 

Roupas e calçados?
Aqui é preciso cautela para que os compradores compulsivos não se empolguem e encontrem justificativa para gastar sempre! É importante sim investir na imagem, porém com moderação.

A busca pelo emprego exige boa apresentação, bem como o crescimento em sua carreira. Mas isso não significa se endividar para comprar dúzias de sapatos, camisas, vestidos e bolsas.

Você deve pesquisar preços na hora de comprar e optar sempre por peças básicas e clássicas, que lhe permitam fazer combinações criativas e originais, variando assim o visual sem gastar muito!

Gasto ou investimento?

Compartilhar