Atualização de privacidade

Lançamos nosso Centro de Privacidade e atualizamos o Aviso de Privacidade. Saiba mais. >

Educação Financeira para todos

Para seguir o princípio da diversificação, é necessário conhecer um pouco sobre as características das modalidades de investimento. Você sabe quais aplicações são de Renda Fixa ou de Renda Variável? E o significado desses conceitos?

Renda Fixa x Renda Variável

Entenda as diferenças
Os investimentos em Renda Fixa são aqueles cuja remuneração ou sua forma de cálculo pode ser previamente definida no momento da aplicação.

Dentre os investimentos mais populares nessa categoria, estão a Caderneta de Poupança, os Fundos DI e de Renda Fixa, Títulos Públicos e CDBs.

Pelo fato de não estarem tão sujeitas às oscilações do mercado e de o investidor conhecer a sua rentabilidade, essas aplicações podem ser consideradas menos arriscadas e, por isso, mais adequadas a quem tem perfil conservador. 

Todo investimento tem risco!
Mas isso não descarta totalmente a possibilidade de perdas. Apesar de raros, os prejuízos podem ocorrer, se o emissor do título não cumprir com a obrigação assumida ou ainda se, ao final da aplicação, ela se revelar menos rentável do que outros investimentos de risco similar e disponíveis durante o mesmo período.

Já nas aplicações de Renda Variável, o investidor não tem como saber previamente qual será a rentabilidade que poderá obter. Fazem parte dessa categoria os investimentos em Ações.

Como o próprio nome diz, os preços dos ativos podem sofrer variações o tempo todo, sendo redefinidos por conta de diversos eventos que afetam as empresas emissoras, a economia e o próprio mercado financeiro.

Em contrapartida, justamente por trazer mais riscos, a Renda Variável proporciona maior rentabilidade, principalmente se o investimento for feito com critério, diante de opções bem avaliadas e com diversificação.

Além disso, eventuais desvalorizações das ações podem ser revertidas para quem deixa os papéis aplicados no longo prazo. Por isso, é aconselhável que a pessoa não dependa do dinheiro investido para gastos imediatos. 

Nesse ponto, a opção pela Renda Variável também depende da idade do investidor. Isso acontece porque, quanto mais jovem ele for, mais pode carregar seus investimentos em Renda Variável, pois tem o tempo a seu favor e, no longo prazo, pode ter retornos interessantes das boas empresas listadas na bolsa de valores. 

Já os mais velhos tendem a arriscar menos e priorizar a segurança, pensando em preservar os recursos que estão sendo acumulados para a aposentadoria.

Renda Fixa x Renda Variável

Compartilhar