Educação Financeira para todos

Viagem quase sempre é sinônimo de compra. E, quando o destino é o exterior, fica ainda mais difícil resistir ao consumo e deixar de aproveitar a oportunidade de adquirir produtos que não são encontrados no Brasil ou, ainda, mercadorias que, apesar de estarem disponíveis por aqui, nos parecem bem mais baratas por lá. 

Compras do exterior

A solução é fazer um bom planejamento financeiro e tomar alguns cuidados para não se arrepender na volta ao Brasil.

Cartão de crédito
Os cartões de crédito internacionais são ótimos aliados das compras no exterior, por garantirem segurança e praticidade. Mas é importante ter consciência de que o valor a ser pago será convertido em reais.

E aqui vale o alerta: como as moedas estrangeiras variam em relação à moeda brasileira, é preciso ter consciência de que o valor pago pela mercadoria na hora de quitar a fatura será diferente do custo verificado no momento da compra.

Isso porque é necessário utilizar a cotação da moeda (seja dólar, euro, pesos ou qualquer outra) correspondente ao dia do pagamento. Tendo compreensão de que isso pode acontecer, torna-se mais fácil planejar suas compras e gastar de acordo com sua disponibilidade financeira. Considere também a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), hoje de 6,38%.

Contas mentais
Outro aspecto que exige atenção são as contas mentais. Vamos considerar uma viagem para os Estados Unidos, por exemplo. Como o dólar varia constantemente em relação ao Real, é comum termos um preço estimado em mente. 

Vamos considerar que, durante sua viagem, você gastou US$ 5 mil, supondo que o dólar estivesse custando R$ 3,20. Você, então, teria em mente a impressão de que gastou R$ 16 mil. Mas, se nesse período o dólar estivesse valendo R$ 3,80, você teria arcado com R$ 19 mil, ou seja, R$ 3 mil a mais do que havia imaginado.

Garantia
O cuidado com as compras e a atenção aos direitos do consumidor são aspectos importantes a considerar em qualquer país. Principalmente a garantia dos produtos! Pense a respeito: muitos eletroeletrônicos perdem a validade quando são levados para fora do país de origem, mesmo que tenham nota fiscal.

Um bom exemplo são os computadores e notebooks. Segundo especialistas, nenhuma empresa é obrigada a oferecer garantia dos seus produtos, se eles não estiverem mais no país onde foram adquiridos, e pouquíssimas companhias fazem isso. A garantia é local. Mesmo que a pessoa tenha a nota fiscal do aparelho e tenha arcado com o custo dos impostos, ela dificilmente terá direito a suporte técnico aqui no Brasil.

Este é um fator complicador, porque é a típica situação onde o barato pode sair caro. Economiza-se no preço do computador, mas, quando o aparelho apresenta algum problema, ela terá que gastar um bom dinheiro para mandar arrumar, já que a garantia perde a validade aqui.

Além disso, é comum os consumidores adquirirem equipamentos que não possuem similar no Brasil, consequentemente, é difícil haver peças para a manutenção do aparelho. A dica é comprar equipamentos cujas marcas sejam conhecidas por aqui.

Impostos
Outro cuidado a ser tomado com relação às compras feitas no exterior é com os impostos. Antes de viajar, informe-se sobre o assunto no Guia do Viajante, no site da Receita Federal:
http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira/viagens-internacionais

Compras do exterior

Compartilhar