Educação Financeira para todos

Quando se é criança ou adolescente, viagem de férias é sinônimo de família, amigos, todo mundo reunido e disponível praticamente no mesmo período.

Viajando sozinho

Com o passar dos anos, porém, fica cada vez mais difícil conciliar o seu período de férias com o do seu melhor amigo ou de seus familiares, seja por conta de aulas, seja por causa do trabalho. Enfim, aquela viagem programada em conjunto fica cada vez mais difícil.

A situação esbarra ainda em outra questão: a financeira. Normalmente, quartos single (individuais) são mais caros do que aqueles divididos por duas ou mais pessoas. Ou seja, além de perder as companhias, ainda fica mais caro viajar sozinho.

Mas o que fazer então? Deixar de viajar?
Para quem gosta de arrumar as malas e “cair na estrada”, é possível, sim, aproveitar dias de descanso, mesmo sozinho, sem gastar muito. Quer saber como?

Hospedagem
Para gastar pouco com hospedagem, uma dica é apostar nos albergues, que são acomodações mais econômicas, nas quais é possível dividir o quarto com mais pessoas e, assim, gastar bem menos. 

A cada dia, cresce no Brasil e no mundo o conceito de economia compartilhada. No caso de viagens, por exemplo, isso possibilita alugar um imóvel junto com pessoas que você não conhece, dividindo custos e tendo assim a oportunidade de conhecer culturas e hábitos diferentes.

Quem tem receio de dividir o quarto com pessoas estranhas pode optar por acomodações individuais, um pouco mais caras, mas, dado o conceito do meio de hospedagem, mais baratas que a de hotéis tradicionais.

Mas segue uma dica: dividindo o quarto, fica mais fácil conhecer pessoas que poderão fazer da sua viagem um divertido passeio entre (novos) amigos.

Transporte
Quando em grupo, muitas vezes, vale a pena dividir um táxi para se locomover de um lugar ao outro. Quando se viaja sozinho, no entanto, isso fica mais caro. Assim, informe-se sobre o transporte público local.

Uma dica, também, é informar-se no hotel (albergue etc.) onde estiver hospedado se outras pessoas têm o interesse em fazer o mesmo passeio. Em grupo, fica mais fácil – e barato - alugar um carro, pegar um táxi ou até mesmo explorar a cidade a pé, em companhia de pessoas com interesses em comum.

Alimentação
Em restaurantes, muitas vezes, os pratos servem duas pessoas e você, sozinho, vai acabar pagando por dois. Uma dica é pedir meia porção, se for possível, ou optar por lugares que forneçam porções individuais. Se a vontade é comer pizza, em vez de comprar uma inteira e jogar fora mais da metade, opte por locais que vendem pedaços individuais. Além de pagar apenas o que comer, você evita o desperdício.

Uma dica de economia é fazer compras em supermercados e preparar sanduíches rápidos no próprio quarto do hotel – para isso, verifique se o estabelecimento não faz nenhuma objeção. Alguns albergues pelo mundo oferecem cozinha para os hóspedes. Quem quiser pode até exercitar os dotes culinários e convidar os novos colegas para um jantar diferente. O que vale é a diversão... e a economia!

Viajando sozinho

Compartilhar